sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Me diga.



Chega essa época do ano e eu começo a fugir dos meus problemas
tenho a vontade de correr e sumir, porque eu não posso dar um tempo de mim
Eu não estou me entendo mais tanto tempo passou e tem coisas que não ficam para trás.

Eu realmente sou fraca. Me diga você: não sou ?
Eu tenho companhia mas estou tão só. Me diga você: não estou?

Autoria: Simone Cajá
"Pode copiar, mas dê créditos por favor."

Certos caminhos.


Sempre que levanto abro a janela, paro e olho pelas grades
À vista aqui do quarto é grande, a rua deserta da manhã
Um caminho sem fim, sem ninguém, sem mim

Me perco parada olhando, entre as grades me pego pensando
Mais um dia está começando e tenho todo o caminho para seguir
Novas possibilidades, novos enredos: basta sair

O problema é que me encontro em um caminho perdido.
Embora vejo novos, meus pés estão presos aqui
e por mais que me esforço não tenho para onde ir

Fico andando em círculos pelo mesmo caminho
Fico me remoendo, me ferindo, me atingindo

Eu preciso de um novo rumo, mas esses certos caminhos
são velhos clichês , talvez eu devesse é me acostumar
Tem gente que realmente nasceu para não mudar.

Autoria: Simone Cajá
"Pode copiar, mas dê créditos por favor."

Texto criado ao programa Mais Que Palavras +QP projeto que apresenta temas mensais para nos desafiarmos mais na escrita. Aquele empurrãozinho que todos precisam pra serem mais criativos e saírem da zona de conforto na hora de escrever. Conheça também o BLOG Janela Singular o BLOG  Floreioos que também estão neste projeto. 





sexta-feira, 9 de outubro de 2015

CHEGA!


Então tá: chega

Mas chega com jeito
Chega sem medo
Chega sem pressa
Chega sem ver

Chega querendo
Chega torcendo
Chega esperando o que vai acontecer.

Chega mostrando
talvez agradando
Chega querendo fazer.

Chega com tudo
Chega pra crer
Chega sem rumo
Sem medo de perder


Autoria: Simone Cajá
"Pode copiar, mas dê créditos por favor."

domingo, 23 de agosto de 2015

Não sei se acredito mais no amor.


Eu não sou muito de falar, na verdade eu sou um pouco, mas sou muito mais de observar.  
Conheço pessoas que nem sabe que existo, sou intima de pessoas que mal falo um oi, apenas pelo fato de observar. Algumas pessoas diriam que gosto de cuidar da vida alheia, no meu ponto de vista não, gosto apenas de observar, não falo com ninguém, não comento, apenas escrevo. De forma leve e suave, sem dar nome aos bois.

O que mais gosto de observar são relacionamentos: sempre fotos tão lindas, escritas tão românticas, sempre algo de se invejar. Eu não posso muito reclamar vivo um relacionamento que talvez também seja de se invejar, claro que não é perfeito, mas é algo de se encantar. O problema que enfrento é de sempre observar e a partir dai idealizar, crio circunstâncias comigo mesmo e parâmetros que eu mesmo quero quebrar nada real tudo apenas na minha psique.
Eu vejo amigos que resolveram tentar, eu vejo em tão pouco tempo lindas declarações de se apaixonar, vejo fotos e fotos, e beijos e abraços e eu te amo. Vejo uma aliança, vejo as coisas acontecerem e todos dizer: nasceram um para o outro só pode ser o destino por isso toda a rapidez, toda certeza e confiança. 

Eu vejo sorrisos, casa junta, vejo um cachorro. Eu vejo o futuro esperado em quatro anos acontecendo em questão de meses. Eu vejo boate, cigarros e cervejas, novos amigos, novos costumes, a velha casa. Vejo um cara, novos abraços e novos beijos. O que foi que aconteceu? Todo mundo tem a chance de começar de novo, claro. Semanas se passaram e já vejo novos planos, novos panos, novas frases, menos poéticas, mas sempre profundas, vejo um eu te amo. 
Que lindo, o amor renasceu, é agora eu observo. Encontrou aquilo que faltava, o vazio que não completava tão bem o sorriso, agora é perfeito, agora é pra ser. Agora não vejo nada. Sumiu. O que foi que aconteceu? 

Eu vejo novo estilo, novo cabelo, de novo cigarros. Vejo uma reviravolta, coisas boas vão acontecer vejo muita coisa mudando em menos de apenas seis meses, mas o tempo não importa e sim a intensidade. Vejo a vontade de viver, vejo outro cara, pera, esse não é novo, talvez seja eu não sei, vejo corações, vejo um brilho no olhar, vejo frases apaixonadas e uma vergonha de se expressar, vejo um eu te amo. 

Será? Talvez, a intensidade, o estilo de vida, a beleza não sei. Depende o que se entende do que são possíveis as pessoas, ai as pessoas se perdem em meio a tantos vazios. Eu não sei se acredito em tudo que observo, mas quem sou eu para falar, apenas observo, apenas vejo.  

Autoria: Simone Cajá
"Pode copiar, mas dê créditos por favor

quinta-feira, 16 de julho de 2015

"Eu não sei lidar"

























Em algum lugar hoje li: "Eu não sei lidar."
Não me lembro se foi em algum livro, ou letra de música
ou algum rabisco no bar. 
Mas o fato é que eu também não sei lidar.
Acho que estou perdendo a razão ou talvez a visão.
Será que estou ficando cega ?
Você move suas mãos para longe da minha
você troca as coisas de lugares para fingir que eu não conhecia.
Isso tudo só pode ser um sinal, que tudo mudou 
e eu mais uma vez me perdi, sem conseguir acompanhar . 
Acho que com tudo você não está mais aqui.
Pelo menos eu não consigo mais te achar. (nem sentir)
Isso poderia me deixar um pouco mais fria.
Isso poderia me deixar um pouco mais triste.
Isso tudo. Isso de você me deixar. 

Autoria: Simone Cajá
"Pode copiar, mas dê créditos por favor

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Outra cerveja, por favor.


É mais um dia, como outro qualquer. 
Tem tempos que não penso em você
Sei lá acho que uns cinco meses e quatro dias para ser exato.
De qualquer jeito quase nem me lembro, não de você.

Ando meio ocupada de mais.
Ando bebendo de mais.
Ando pensando de mais.
Mas dessa vez não em você

Abro uma cerveja 
Paro, e ouço uma música que nunca ouvi antes 
Meu coração acelera, que estranho
não pode ser por vocês.

Abro outra cerveja
E ainda não consigo te ligar
Pra saber se está tudo certo por aí como está aqui.
Não consigo ligar: não pra você.

Só mais uma cerveja
E ainda não consigo entender
Por que depois de tanto tempo você nunca veio me ver? 

Quem sabe é por que estou me escondendo atrás de todas essas palavras, e copos,
e roupas. Não deveria mas posso me calar, parar e tirar
Só pra você.

Autoria: Simone Cajá
"Pode copiar, mas dê créditos por favor."

domingo, 3 de maio de 2015

De novo.



Me peguei parada olhando pra mim.
Em pé na frente do espelho olhando tudo que se refletia ali.
Os olhos vermelhos e uma expressão fria.  O que estava acontecendo ali?
Eu costumava não ser assim ... Eu costumava ter um tempo só pra mim.

Às vezes me pego sabotando a mim mesmo
plantando provas, tudo pra me incriminar. 
Tudo para estabelecer em mim o meu estado natural, de eterna confusão.

Autoria: Simone Cajá
"Pode copiar, mas dê créditos por favor."

Texto criado ao programa Mais Que Palavras +QP projeto que apresenta temas mensais para nos desafiarmos mais na escrita. Aquele empurrãozinho que todos precisam pra serem mais criativos e saírem da zona de conforto na hora de escrever. Conheça também o BLOG Janela Singular o BLOG  A Míope que também estão neste projeto. 


sexta-feira, 17 de abril de 2015

Pois é.


Pois é..
Você vai continuar sendo você. 
O motivo da minha alegria,
 o motivo dos meus dias melhores, 
a razão do meu sorriso, 
aquele que me faz a garota mais feliz do mundo, 
meu presente de Deus.

Aquele que eu amo, pra sempre.

Autoria: Simone Cajá
"Pode copiar, mas dê créditos por favor."

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Sinto Falta.



Sinto falta daquele que eu chamo de amigo
aquele para ser o primeiro a ligar e querer contar uma novidade.
O tempo passa e as pessoas alheias vão com ele
 a ventania leva todo mundo embora e só os verdadeiros ficam.
Mas olho pro lado e vejo: quem ficou?‎
Acredito que ninguém.

Autoria: Simone Cajá
"Pode copiar, mas dê créditos por favor."

Imaginei .



Sabe eu sempre esperei de verdade que um dia minha hora iria chegar 
mas eu não podia imaginar que seria tão de repente
e que seria tão forte. 
Num piscar de olhos, tudo se acertou pra mim,
 e todo o meu passado, não faz sentido algum.
Esperei tanto por esse momento. 
O momento em que eu iria encontrar alguém que mudaria minha história pra sempre. Alguém que faria parte de todos os capítulos da minha vida, pra sempre.
E você, tão repentinamente apareceu no meu caminho. 
Como um presente vindo dos céus.
Imerecidamente. 
Hoje, e pra sempre.
Meu anjo!

Autoria: Simone Cajá
"Pode copiar, mas dê créditos por favor."

segunda-feira, 6 de abril de 2015

MEDO


Engraçado a reação do corpo de acordo com cada situação.
Acho que é a terceira vez que passo por isso na vida.
Pelo menos depois que criei sentido da existência.
A boca seca.
Pareci que engoli uma bola de pelo
 e tudo fica agarrado.
Ferindo.
Machucado.
Sangrando.
As mãos começam a ficar tremulas.
A visão turva.
Eu tento prestar atenção em cada estimulo do corpo
em cada reação.
Mas é difícil.
Os batimentos aumentam. 
O ar está acabando, está fraco.
Começo a balançar as pernas
no vai e vem de um pêndulo.
E cada vez que balanço, eu quero mais.
A velocidade acelera assim como a vontade de sumir.
A ansiedade tá difícil de segurar.
O medo está difícil de controlar.
Eu preciso sumir.

Autoria: Simone Cajá
"Pode copiar, mas dê créditos por favor."

Texto criado ao programa Mais Que Palavras +QP projeto que apresenta temas mensais para nos desafiarmos mais na escrita. Aquele empurrãozinho que todos precisam pra serem mais criativos e saírem da zona de conforto na hora de escrever. Conheça também o BLOG Chuva de Jujubas o BLOG Entre Flecha  que também estão neste projeto. 

quarta-feira, 4 de março de 2015

Projeto: +QP ( Primeira Parte)



Mulher 

Ninguém realmente te ver como é.
Você nunca pode ser como quer.
Vivemos em um mundo de liberdades restritas.
Como sobreviver em meia todas essas medidas.
Como não acumular e sentir ?
Uma dica ? Esqueça a todos . Esqueça tudo .
Se jogue nessa dança sem se importar com a coreografia.
Sua consciência te guia .
Deixa assim.
Seja assim .
As coisas podem até mudar (ou não) .
Mas pelo menos você pode sorrir e sonhar .
Viver sem chorar.
Ser você sem pensar.


Autoria: Simone Cajá
"Pode copiar, mas dê créditos por favor."

Texto criado ao programa Mais Que Palavras +QP projeto que apresenta temas mensais para nos desafiarmos mais na escrita. Aquele empurrãozinho que todos precisam pra serem mais criativos e saírem da zona de conforto na hora de escrever. Conheça também o BLOG Entre Flechase o BLOG Colecionando Primaveras que também estão neste projeto.  



terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Vazio.



Estou  com medo de tudo que pode acontecer.
Minha mente está me traindo.
Não posso confiar em mim.
Não posso confiar em ninguém.
É tão estranho viver assim.

Autoria: Simone Cajá

"Pode copiar, mas dê créditos por favor.".

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Poesia Compartilhada .



É uma honra.
És o distinto.
És minha vida interpretar.
Tanta coisa morre, depois do despertar... 
Depois de nada mais estar, e estar!

Pera aí. Nada morre. Nada tem fim.
Apenas deixa de acordar.
Embarca em um sono viagem para outra existência aprofundar.
Nada deixa de estar, apenas se encontra em outro lugar.

E suposto fim, tudo move, pra onde se quer estar.
E assim despertar, que o que vem transparecer o que é amar.
No corpo, encontrar, no peito, desaguar...

Desaguar em um mundo onde se pode amar.
Onde se fecha os olhos e pode se entregar. 
Se entregar no vazio do desconhecido.
No medo de se perder e depois de encontrar sozinho.  

Afinal:

No final, encontrar, que nesse mundo, para estar, é sonhar.
Viajar, sempre estar... e ficar....

Autoria: Simone Cajá e Degaba.
"Pode copiar, mas dê créditos por favor." 


22:06



Tem coisas nesse mundo que me atraem.
Tem coisas que me distraem.
Eu gosto de coisas coloridas elas me fazem viajar em diferentes utopias.
Eu gosto de coisas que piscam elas me fazer perceber que as coisas oscilam.
Eu gosto de escrever coisas sem sentidos. De refletir com amigos coisas sem princípios. 
Eu gosto de beber as escondidas enquanto faço tudo isso. 
Eu gosto de me desliga e surtar, sem ter ninguém com quem se preocupar. 
Eu gosto de tanta coisa que não dá pra compartilhar.

Autoria: Simone Cajá
"Pode copiar, mas dê créditos por favor."

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Bordões Antigos .


Me vejo aqui sentando.
Pensando como poderia ter sido.
Me vejo imaginando e se eu tivesse ido. 

O gosto da cerveja
A fumaça.
Os acordes do violão. 
Aquele tumulto que lugares fechados trazem.
Muitas pessoas em volta, e mesmo assim a solidão .

Autoria: Simone Cajá
"Pode copiar, mas dê créditos por favor."

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Pilgrim.


Pouca coisa me lembra você.
A praça de dia.
A praça de noite.
O banco da praça.
O bar da praça.
Hippie.
Sophia.
Pedro.
Coração.
A ponte.
A casa.
O tapete.
O filme.
A música.
A música do filme.
A lua.
As viagens.
As crises.
As sextas.
Os vinhos.
Malbec.
As cervejas.
Todas as cervejas.
A solidão.
O abandono

Você.

Autoria: Simone Cajá
"Pode copiar, mas dê créditos por favor."

Olhos Fechados.



Eu fecho os olhos e tento dormir.
Mas o balançar das pernas não me deixa.
Uma frequência assimétrica.
Um vai e vem que tenta controlar 
a ansiedade que me tormenta.
De olhos fechados consigo te ver, 
procuro me aproximar 
mas quanto mais ando mais longe estou de você.
Isso só me faz crer que o tempo ta passando
e nossos caminhos estão distanciando.
Quando vamos aceitar e começar a viver ?

Um sem o outro.
Eu sem você.


Autoria: Simone Cajá
"Pode copiar, mas dê créditos por favor."

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Aqui.






Você não seria capaz de entender o que estou sentindo agora ao te ver. Te entreguei todos os meus sonhos mesmo eles parecendo coisas fora do normal, nele estava nossa vida a dois, mas agora está tudo enterrado você não quis continuar escrevendo você preferiu  abandonar, preferiu deixar que a vida seguisse mesmo a gente não sabendo no que ia dar.  Talvez a gente tem a vida inteira para resolver mas eu não quero a vida inteira. Eu quero agora.E já que você se foi eu fico aqui, eu continuo escrevendo aqui.  Se precisar voltar ainda to aqui. 
Aqui.

Autoria: Simone Cajá
"Pode copiar, mas dê créditos por favor."

sábado, 3 de janeiro de 2015

Time to sleep.



Mesmo quando você tenta ignorar tudo que te corroí por dentro.
Tudo aquilo que te mata aos poucos ao longo do dia,.
Simplesmente apareci na hora que você vai dormir.
Te fazendo enlouquecer, desejando profundamente querer sumir.

É um fato impossível de ignorar.

Autoria: Simone Cajá
"Pode copiar, mas dê créditos por favor."

Conquistas.



É uma conquista e tanto, consegui ferrar com tudo em tão pouco tempo epicamente. 
E só por um momento nada mais faz sentido. 
O ano começou e nada mudou.
Seja Bem-vindo. 

Autoria: Simone Cajá
"Pode copiar, mas dê créditos por favor."